fevereiro, 2018

Devo pensar em fazer uma cirurgia plástica ou outro procedimento?

Quando falamos em tratamentos minimamente invasivos, estamos nos referindo a procedimentos dermatológicos que podem ter finalidades estéticas ou clínicas. Nesses procedimentos, os médicos trabalham com a retirada ou modificação da pele e do tecido subcutâneo local, cuidando de problemas como câncer de pele, cicatrizes, pintas e verrugas, unhas encravadas, manchas e envelhecimento.

Os procedimentos dermatológicos minimamente invasivos trabalham diretamente com a qualidade de vida do paciente. Eles atuam tanto no sentido de melhorar a autoestima quanto para promover o tratamento de algumas doenças. Alguns desses procedimentos são bastante simples e podem ser feitos com anestesia local.

Com o surgimento de novas técnicas e tratamentos, bons resultados podem ser alcançados de forma menos invasiva (e mais indolor, também) do que em uma operação. Mas isso não significa que a cirurgia possa ser “substituída”– muitas vezes, as técnicas podem inclusive ser complementares!

Tratamentos minimamente invasivos

Procedimentos como laserfios de sustentaçãoradiofrequências e uso de substâncias como a toxina botulínica e o ácido hialurônico estão entre as opções seguras. Eles praticamente não exigem afastamento das atividades cotidianas e oferecerem um resultado satisfatório. Por isso, são muito procurados por quem deseja trabalhar na aparência, mas ainda não quer enfrentar uma cirurgia, seja ela pequena ou não.

É claro que, em todos esses casos, a técnica vem acompanhada de cuidados frequentes com a pele e de um acompanhamento médico. Utilizar filtro solar é fundamental, tanto na recuperação de alguns procedimentos quanto na prevenção de doenças e envelhecimento precoce.

Também pode-se considerar uma cirurgia plástica para certas correções, como o lifting de sobrancelhas, uma rinoplastia (que trata do nariz) ou uma ritidoplastia, também conhecida como rejuvenescimento facial.

Cirurgia plástica e procedimentos alternativos

Um exemplo de como os tratamentos não cirúrgicos podem se aliar às pequenas cirurgias, e até mesmo às cirurgias plásticas, é a combinação entre toxina botulínica, preenchimento com ácido hialurônico, laser eritidoplastia. Após alguns meses da cirurgia facial, pode ser utilizado o laser para melhorar a textura e possíveis manchas da pele, a toxina botulínica, para minimizar as rugas dinâmicas que o lifting não consegue tratar.

Mas cada caso é um caso! O ideal é conversar com o especialista de sua confiança para determinar se uma cirurgia já é necessária no momento, seja ela apenas para corrigir rugas ou para resolver problemas estéticos ou clínicos mais avançados. Nem sempre existe apenas uma solução, e o importante é determinar o que é mais indicado para as suas particularidades.

Acompanhe as nossas publicações também pelo Facebook e não perca os nossos conteúdos sobre saúde e estética!